Publicado por: Lucas Borges | 23/02/2010

Sobre: Windows 7 (Seven)

Windows 7 LogoWindows 7 é a mais recente versão do Microsoft Windows, uma série de sistemas operativos produzidos pela Microsoft para uso em computadores pessoais, incluindo computadores domésticos e empresariais, laptops e PC’s de centros de mídia, entre outros. Windows 7 foi lançado para empresas no dia  22 de Julho de 2009, e começou a ser vendido livremente para usuários comuns às 00:00 horas do dia 22 de Outubro de 2009, menos de 3 anos depois do lançamento de seu predecessor, Windows Vista. A versão do Windows 7 para servidores, chamada de Windows Server 2008 R2, tem previsão de lançamento mais ou menos no mesmo periodo que este.

Diferente de seu predecessor, que introduziu um grande número de novidades, o Windows 7 é uma atualização mais modesta e focalizada para a linha Windows, com a intenção de torná-lo totalmente compatível com aplicações e hardwares com os quais o Windows Vista já era compatível. Apresentações dadas pela companhia no começo de 2008 mostraram um “Shell” novo, com uma barra de tarefas diferente, um sistema de “network” chamada de “HomeGroup”, e aumento na performance. Algumas aplicações que foram incluídas em lançamentos anteriores do Windows, como o Calendário do Windows, Windows Mail, Windows Movie Maker e Windows Photo Gallery não serão incluidos no Windows 7; alguns serão oferecidos separadamente como parte gratuito do Windows Live Essentials.

Origem do Nome

O uso de nomes de lugares como nome de código de produtos é uma tradição na Microsoft. Ao longo das décadas de 1980 e 90, várias versões dos seus sistemas operacionais tiveram nomes de cidades, como o Sparta, uma referência a cidade-estado grega Esparta (Windows for Workgroups 3.11), Daytona (Windows NT 3.5), Cairo (Windows NT 4.0), Windows NT 5.0 (Windows 2000), Chicago (Windows 95) e Memphis(Windows 98).

No início da primeira década deste século, a empresa quebrou a tradição das cidades ao usar o nome de Whistler (Windows XP), uma estância de  esqui no Canadá, e Longhorn, que se transformou no Windows Vista.

“Isso não reflete uma grande mudança para nós, já usamos cidades como  nome de códigos no passado”, afirmou a Microsoft num comunicado à imprensa.

Desde a fase final de lançamento do Whistler, que viria a ser lançado como Windows XP, a Microsoft já desenvolvia o Longhorn (que foi lançado como Vista) e planejava o Blackcomb. Após algum tempo de lançamento do Windows XP, e com o Longhorn já perto de ser lançado, a Microsoft resolveu renomear o projeto Blackcomb para Vienna, porém o novo nome não duraria muito.

Em 13 de outubro de 2009, a Microsoft anúncia oficialmente que vai utilizar o mesmo nome de código para a versão final do produto. A empresa justifica a decisão alegando estar “firmemente enraizada nas aspirações do Vista” ao mesmo tempo que evolui e refina sua plataforma.

Recursos adicionados e melhorias

Steve Ballmer declarou que “ele será como o Windows Vista, mas muito melhor” em resposta à pergunta sobre a proximidade que ele teria com o sistema operacional atual. O Windows possui os seguintes recursos:

Recursos removidos

Apesar do Windows 7 conter muitos novos recursos, um número de capacidades e certos programas que faziam parte do Windows Vista não estão mais presentes ou mudaram, resultando na remoção de certas funcionalidades. Segue-se uma lista de recursos que estavam presentes no Windows Vista mas foram removidas no Windows 7:

  • Muitas ferramentas da interface gráfica, incluindo:
    • O miniplayer do Windows Media Player foi substituído pelo novo recurso Jump list
    • Fixar navegador de internet e cliente de e-mail padrão no menu Iniciar e na área de trabalho (programas podem ser fixados manualmente)
    • A capacidade de desabilitar o agrupamento dos botões similares na barra de tarefas
    • Exibição do número de botões combinados na barra de tarefas.
    • A capacidade de desligar a pré-visualização das janelas na barra de tarefas
    • Advanced search builder UI.
    • A capacidade de desabilitar a propriedade “Sempre no topo” da barra de tarefas
    • O menu de contexto dos botões da barra de tarefas foi substituído por Jump Lists, assim as opções Restaurar, Mover, Tamanho, Minimizar e Maximizar foram movidas para o menu de contexto da respectiva miniatura da janela
    • Expandir a área de notificação horizontalmente (ícones aparecem em uma nova mini-janela)
  • Alguns recursos do Windows Media Player:
    • Editor de tags avançadas (REMOVIDO NA VERSÃO 12)
    • Recentemente adicionada Auto playlist
  • Windows Photo GalleryWindows Movie MakerWindows MailWindows Calendar foram substituídos pelas suas respectivas contrapartes do Windows Live, com a perda de algumas funcionalidades.
  • Os filtros da web e relatório de atividades foram removidos da ferramenta de controle parental. Essas funcionalidades foram substituídas pelo Windows Live Family Safety
  • Os protetores de tela AuroraWindows EnergyWindows Logo
  • Software Explorer do Windows Defender
  • Gerenciador de mídias removíveis
  • Windows Meeting Space
  • InkBall
  • O teclado numérico do Teclado Virtual
  • Microsoft Agent 2.0 Technology
  • Windows Sidebar (substituído por Desktop Gadget Gallery)
  • Suporte nativo para os antigos arquivos de ajuda (Extensão .HLP)

Compatibilidade

A Microsoft afirmou que o Windows 7 terá plena compatibilidade com drivers e aplicações. Portanto, não se reproduzirão as incompatibilidades e problemas que aconteceram ao se usarem programas que funcionavam com perfeição no Windows XP e não funcionaram no Windows Vista.

Em 24 de AbBril de 2009, a Microsoft revelou que o Windows 7 (versões Professional, Enterprise e Ultimate apenas) terá o Windows XP “embutido”, na forma de um modo virtual, similar ao ambiente Classic, do Mac OS X, disponível como download separado.

Windows XP Mode

Conhecido também por XPM é a mais nova ferramenta do Windows 7. Consiste em virtualizar o Windows XP, não apenas em modo de compatibilidade como nas outras versões do Windows, mas como num todo, como a execução do código fonte em um Windows XP “de verdade”. Este recurso, promete resolver questões definitivamente como a incompatibilidade não resolvida pelo recurso nativo do Windows Vista por exemplo, que apenas emula parte do código do Windows XP, e também, o abandono definitivo do Windows XP, já que agora, programas incompatíveis com o Windows Vista e 7 até a Build 7100 (RC), já estarão funcionando perfeitamente quando a ferramenta entrar em acção. Este recurso está presente nativamente a partir da versão RC do Windows 7 em inglês, e em versões como em Português, deve ser baixada separadamente no site da Microsoft. Para poder executar o Windows XP Mode, é necessário um processador com a tecnologia de virtualização (Intel VT ou AMD-V)

Requisitos do sistema

A Microsoft publicou os Requisitos mínimos do Windows 7. Os Requisitos do Home Premium/Professional/Ultimate para a arquitetura de 32 bits são quase os mesmos requisitos para edição Premium do Windows Vista, mas a versão de 64 bits é consideravelmente mais elevado. A Microsoft lançou um aplicativo chamado Upgrade Advisor, que examina um computador para ver se é compatível com o novo sistema operacional.

Requisitos mínimos para Home Premium/Professional/Ultimate
Arquitetura x86 (32 bits) x64 (64 bits)
Processador 1 GHz
Memória (RAM) GB de RAM GB de RAM
Placa gráfica Suporte para o dispositivo de gráficos DirectX 9 com 128 MB de memória gráfica (para Aero Glass)
Espaço Livre em HD 16 GB de espaço em disco disponível 20 GB de espaço em disco disponível
Unidade óptica Unidade de DVD (apenas para instalar a partir de uma mídia de DVD/CD) ou entrada USB

FONTE: Wikipédia


Categorias

%d bloggers like this: